Wishlist
Precisa de estar autenticado para usar a Wishlist.

15 dicas para ensinar as crianças a ler, de forma natural

Aqui na pimpumplay sentimos os adultos (sobretudo os pais) cada vez mais ansiosos com as aprendizagens dos miúdos, procurando antecipar os tempos naturais que cada criança leva para aprender (tempos esses que variam naturalmente de criança para criança). A linguagem e consequentemente a leitura são as áreas onde notamos que esta ansiedade é maior, talvez pela exigência da sociedade onde abundam “informações” escritas por todo o lado.

Se tem um pequenote a seu cargo mantenha a calma! Mesmo com as “imposições” frenéticas oficiais, uma criança só deve aprender a ler de forma autónoma por volta dos 7 anos e há muito, mas mesmo muito para aprender até chegar ao ponto de maturidade necessária para aprender a decifrar letras e seus significados. Lembre-se que saber o nome das letras aos 3 anos não garante que a criança seja um leitor prematuro e que também não é indicador de que uma criança seja mais “inteligente” do que outra que ainda não o faz (nem tampouco o é aos 7 anos!).

Aprender a ler deve ser uma etapa natural, resultante da maturação de estruturas cerebrais complexas (que levam o seu tempo) e, não menos importante, duma certa necessidade e motivação intrínseca da criança em decifrar para aumentar o seu conhecimento sobre o mundo. Respire fundo, leia as 15 dicas que lhe deixamos de seguida e veja se alguma lhe faz sentido na relação com os seus pequenotes!

 

  1. Brincar, brincar, brincar! Experimentar objetos, texturas, funções, da forma o mais diversificada possível é uma garantia de que a criança… terá possibilidades: de procurar e partilhar significados, de querer ir “mais à frente”, conhecer um pouco mais na segurança da brincadeira, até chegar aos conceitos cada vez abstratos e complexos!
  2. Leia em Voz Alta para o seu filho diariamente. Desde o nascimento. Mesmo nos primeiros meses, em que ele não vai entender nada do que está a ouvir, leia; quanto mais sons diferentes, melhor. A ideia é que ele fique familiarizado com o som de sua voz e se acostume a ver e a tocar em Livros.
  3. Para começar use Livros Ilustrados e, de preferência, sem textos ou com poucas palavras. Aponte para as cores e figuras e diga os seus nomes, sem esperar que a criança repita. Os brinquedos desempenham aqui uma função muito importante, sobretudo a partir da altura em que a criança começa a aceder ao jogo simbólico/ faz de conta (entre os 2 e os 3 anos).
  4. Conte Histórias. Encoraje a sua criança a falar sobre a história que acabou de ouvir (e eventualmente a fazer perguntas). Pergunte-lhe se consegue adivinhar o que vai acontecer em seguida com as personagens, à medida que for contando a história. Aponte para as coisas no livro que ela seja capaz associar com o seu dia-a-dia. "Olha este desenho do avião. Lembras-te do avião que vimos no outro dia?"
  5. Incentive o “faz de conta que estou a ler”, escutando histórias que a criança queira partilhar consigo, por muito disparatadas, curtas ou descontextualizadas que pareçam ser. Resista ao instinto de corrigir.
    Isto quer dizer que umas vezes serão os pais a ler a história e outras poderá ser a criança. Nestas, a criança estará a atribuir significado às letras; ainda que este não seja o real significado/ valor é uma aproximação simbólica que ajuda a criar rotinas e mapas mentais.
  6. Deixe os livros acessíveis. Se tem lá por casa “pérolas” que não quer ver rasgadas ou riscadas, coloque-as em prateleiras mais altas. No entanto assegure-se de que a criança tem acesso a livros para folhear, imaginar e inventar. Mesmo os rabiscos e rasgões darão boas recordações para um dia mais tarde recordar.
  7. Permita que o seu filho brinque com letras: recortar revistas e jornais velhos, desenhar, utilizar brinquedos… tudo é válido, sem pensar em “LER” ou sequer repetir o nome das letras até à exaustão! Deixe a criança explorar livremente; quando chegar o tempo ela irá querer saber o que querem dizer aquelas letras e aí estará cumprido pelo menos 75% do caminho da aprendizagem!
  8. Permita que a criança escreva, mesmo que ainda não saiba fazê-lo. Para isso, deixe à sua disposição papel e lápis. Se ela rabiscar algo e lhe mostrar, dizendo que escreveu, pergunte o que está escrito. Depois, anote o que ela lhe disser logo abaixo das representações dela. Controle o impulso de comentar ou explicar que não é assim que se escreve tal coisa.
  9. Aproveite todas as oportunidades para escrever o nome da criança. Há muitos pedagogos que afirmam que o nome próprio é como o primeiro alfabeto da criança. É através dele que ela vai ter um contacto mais consistente com um conjunto restrito de letras, numa ordem determinada e, com o tempo, passará a reconhecê-la em outras palavras: por exemplo, o João vai reconhecer o seu nome na mochila do amigo com o mesmo nome; ou a Mariana vai reconhecer as letras M, A e R da palavra que está no livro “A menina do MAR”. Isso é importante para que ela aprenda a ler cada vez mais palavras que tenham esse mesmo começo e passe a se arriscar na leitura.
  10. Chame a atenção do seu filho para palavras que aparecem em rótulos de produtos (a partir dos 4/ 5 anos). Mostrando um pacote de leite, diga: "olha, aqui está escrito LEITE", apontando a palavra. Fazendo isso estará mostrando que os sinais que ele vê por toda a parte têm um significado. Incentive-o também a se arriscar na leitura. Isso é o que os profissionais da área de educação denominam de ler sem saber ler.
  11. Se permitir que o seu filho brinque com o computador ou tablet, não lhe apresente apenas jogos, músicas e vídeos do youtube. Incentive-o a explorar o teclado!
  12. Compre ou construa um Dicionário Ilustrado. Comece a desenvolver o hábito de, brincando com a criança, provocá-la dizendo frases como: "Vamos descobrir o que isto significa?"
  13. Visite a biblioteca local com frequência. Crie uma rotina de visita à biblioteca ou livraria desde cedo. Solicite o seu próprio cartão de acesso e empréstimo de livros. Muitas bibliotecas permitem que a criança tenha seu próprio cartão personalizado com seu nome impresso, exigindo apenas que um adulto seja o responsável e assine por ela.
  14. Brinque com rimas. Elas ajudam a adquirir consciência fonética e a reconhecer as letras, além de ensinarem as palavras básicas. Leia rimas de canções para bebés, e depois faça listas fáceis de rimar, como não, pão, balão. A criança vai começar a reconhecer padrões de sons presentes quando determinadas letras aparecem juntas - neste caso, o som do par de letras ‘ão’.
  15. Leia... de si para si! Dê o exemplo... aprecie as letras dos seus livros e revele essa magia aos seus miúdos!

Partilhe esta página:

Últimas Notícias via Facebook