Wishlist
Precisa de estar autenticado para usar a Wishlist.

Fantoches | emoções com duas faces

AK64001
Nesta caixa mágica encontra-se um conjunto de seis fantoches (quatro são reversíveis com duas caras diferentes) com um CD áudio (mp3) contendo a gravação de dois contos com música e diálogos. A representação das histórias com os fantoches permite às crianças descobrir as emoções, facilitando o seu posterior reconhecimento.
Contém o guião das histórias, um guia pedagógico e ainda um conjunto de fichas de atividades fotocopiáveis para trabalhar as emoções.
A duração aproximada de cada história é de dez minutos. O CD inclui várias línguas para facilitar a aprendizagem de outras línguas.
Disponível
0 Seja o primeiro a votar!
€46,90 Sócio:
€42,21
Adicionar
+1
Pequeno Grupo
3+
pt es en fr

Dimensões do Produto

25 cm
12 cm
36 cm

Informação Adicional

Conteúdo: 6 fantoches; 1 CD (com duas histórias narradas em 8 línguas, guião teatral e atividades de expressão plástica); 1 caixa de arrumação.
Sinto-me...
pimpumplay
Este é de facto um produto riquíssimo que cria possibilidades imensas de atividade, com grande valor pedagógico e terapêutico.
Pôr crianças mais pequenas ou as mais ‘agitadas’ a falar sobre as suas emoções e afetos não é uma tarefa fácil, especialmente porque estas ainda têm pouca capacidade para traduzir o que sentem em palavras. Por isso deixe-as primeiro explorar os fantoches, brincar um pouco com eles e identificar na brincadeira as diferentes emoções e relações que se estabelecem.
Sugira ouvir-se uma história, sendo que deverão ser as crianças a manipular os fantoches. Ponha as crianças a recontar a história que ouviram e se conhecer bem o grupo faça experiências na atribuição das personagens (um miúdo que revele mais medos pode ficar com a personagem que aparenta medo…). Depois reúna o grupo e ponha-os a falar sobre o que sentiram, trocando impressões (“se tu fosses aquela personagem, como é que farias?”). Peça-lhes para desenhar a sua personagem favorita, ou pegue numa das fichas de atividade incluídas no conjunto.
Lembre-se que o mais relevante é sempre o que a criança expressa livremente e não aquilo que possa dizer de forma mecânica, em resultado de um qualquer chavão de um adulto.
Tem de iniciar sessão para comentar.

Comentários

Nenhum comentário. Deixe o seu!